• Postado em: 5 de junho de 2020

IJF2 chega à marca de 100 novos leitos de terapia intensiva destinados ao tratamento da Covid-19


A Prefeitura de Fortaleza segue investindo em medidas assistenciais, em virtude da pandemia causada pelo novo coronavírus. O Instituto Dr. José Frota (IJF2) chega, esta semana, à marca de 100 novos leitos de terapia intensiva instalados especificamente para o tratamento de pacientes acometidos pela Covid-19.

O trabalho da administração pública municipal visa ao monitoramento e ao cuidado especializado diante de casos mais complexos da doença. Além de ventiladores e monitores, as equipes multiprofissionais do IJF2 dispõem de novas ferramentas destinadas à hemodiálise em virtude de eventuais complicações renais, comuns a cerca de 35% dos pacientes das UTIs.

A expansão assistencial passa a ser reforçada por 50 leitos de enfermaria incorporados para garantir dignidade a pessoas em recuperação.

“Em 74 dias, foram implantados gradativamente 100 leitos de UTI. Isso significa mais de um leito por dia. Além disso, já são 50 leitos de enfermaria, totalizando 150 leitos direcionados a pacientes acometidos pela Covid-19. Ao longo dos 83 anos do Hospital, temos servido à população. E, neste momento, mais uma vez, o IJF absorveu, dentre as suas diversas atividades relacionadas ao trauma, mais essa necessidade”, informou Riane Azevedo, superintendente do Instituto Dr. José Frota.

Desde março deste ano, mais de 421 pacientes já foram acolhidos e 136 altas hospitalares foram contabilizadas.

O prefeito Roberto Cláudio detalhou a efetividade da ampliação da estrutura hospitalar. “Até o advento da pandemia, o IJF 1 contava com 30 leitos de UTI direcionados a todos os tipos de doença: traumatismos crânioencefálicos, politraumas, lesões à bala, eventos cardiovasculares, queimaduras, além de outros tipos de ocorrências. Agora, com a estrutura paralela implantada no IJF2, já são 100 novos leitos de terapia intensiva especificamente para o tratamento da Covid-19”, ressaltou.

“Um leito de UTI não se constrói de uma forma rápida. São necessárias diversos cuidados, materiais, equipamentos, medicamentos, recursos humanos e uma série de complexidades envolvidas. Temos buscado soluções em tempo recorde. Portanto, é fundamental registrar agradecimento ao corpo clínico, aos gestores municipais e estaduais, aos setores administrativos e aos profissionais envolvidos”, destacou ainda Riane Azevedo.

Controle de segurança hospitalar

A atenção municipal, diante do quadro pandêmico, tem se tornado referência em múltiplos aspectos. De acordo com a superintendência do IJF, além da adaptação de alas convencionais em alas especiais, o controle de segurança hospitalar implantado tem assegurado a minimização de casos relacionados à infecção hospitalar entre os profissionais atuantes na unidade.

“Desde fevereiro, o hospital vem reforçando os protocolos internos de controle dos riscos de infecção hospitalar, com o controle dos estoques de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e demais insumos, treinamento das equipes sobre os fluxos dos atendimentos e controle dos acessos de visitantes, acompanhantes e demais usuários e prestadores de serviço”, garantiu Riane Azevedo.

Novo Sistema de Hemodiálise

De acordo com o Serviço de Nefrologia do IJF, aproximadamente, 35% dos pacientes internados nas UTIs especiais IJF 2 / Covid-19 desenvolve algum nível de deficiência renal aguda.

Uma das inovações realizadas pela Direção do hospital para o tratamento dos portadores do coronavírus foi a modernização dos processos de diálise, com a instalação de um sistema mais moderno, seguro e cômodo.

Por meio dele, o tratamento pode ser levado diretamente ao leito, o que já evita o deslocamento do paciente e a fragilização dos protocolos para evitar contaminações entre os demais usuários e profissionais.