• Postado em: 23 de janeiro de 2020

Prefeito Roberto Cláudio apresenta Plano Municipal de Enfrentamento às Arboviroses para 2020


Na tarde desta terça-feira (21/01), o prefeito Roberto Cláudio apresentou, em coletiva de imprensa no Paço Municipal, o Plano de Enfrentamento às Arboviroses estipulado para 2020. Na oportunidade, a secretária da Saúde de Fortaleza, Joana Maciel, divulgou a eficácia das iniciativas executadas ao longo dos últimos anos e anunciou novas ações prospectadas pelo Comitê Intersetorial de Enfrentamento às Arboviroses, cujas atividades acontecem ininterruptamente desde 2017.

Ao longo dos anos de 2018 e 2019, também em decorrência de diversas ações preventivas, o cenário epidemiológico da Capital apresentou uma significativa queda no número de casos de arboviroses registradas, incluindo dengue, zika e febre chikungunya. “Dentre os nossos esforços, que seguem sendo intensificados, destacam-se as operações nas fronteiras dos municípios, a Operação Quintal Limpo, as ações em parceria com a Secretaria Municipal da Educação e, principalmente, a estratificação da ação das equipes do combate às endemias. Temos mapeado toda a Cidade para diagnosticar onde há mais infestação de mosquito e maiores casos de doença. A gente junta as informações entomológicas com as epidemiológicas e, com isso, estratifica o risco e atua de forma mais assertiva”, explicou a titular da SMS.

A expectativa para a próxima quadra chuvosa é de precipitações intensas. De acordo com o prefeito Roberto Cláudio, em virtude de riscos epidêmicos, as ações preventivas e remediativas continuarão sendo tratadas com a prioridade devida. “Estivemos, no ano passado, diante de um cenário epidêmico de dengue tipo 2 nas regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Portanto, há um risco, de probabilidade difícil de calcular, de haver um aumento da incidência desse tipo de dengue em Fortaleza em 2020. Os indicadores dirigem as nossas ações de forma mais estratégica. O segredo tem sido manter um bom nível de mobilização intersetorial interna e externa, compartilhando a responsabilidade entre o cidadão, os entes institucionais e o setor de endemias”, explicou.
Ainda segundo o Prefeito, é necessário convocar, contínua e adequadamente, a população para trabalhar o combate vetorial. “Precisamos mobilizar o cidadão para atuar junto ao poder público no controle do vetor transmissor de arboviroses. O controle do mosquito não resolve totalmente um pico epidêmico, mas reduz a infestação de forma significativa. Ou seja, mesmo que haja uma introdução do vírus, caso haja um controle efetivo, a incidência será reduzida”, orientou.

Esforços diante de riscos epidêmicos
Este ano, em caso de eventual surto, esforços estarão direcionados à preparação de respostas emergenciais. Para a finalidade, haverá estrutura assistencial antecipadamente garantida, insumos, materiais e atendimento adequado, buscando realizar ações abrangentes, descentralizadas, eficientes e integradas. “Estamos preparando as nossas Unidades de Saúde para que, caso haja um número elevado de casos, tenhamos equipes devidamente capacitadas”, adiantou Joana Maciel.

23 Postos de Saúde, estrategicamente distribuídos pela Capital, estarão devidamente equipados e, em caso de necessidade, serão referência no atendimento aos casos de arboviroses. “Temos postos de saúde de referência nas Regionais que estão prontos, com sala de observação, caso o paciente precise fazer alguma medicação injetável ou hidratação venosa. Também garantiremos, em caso de suspeita de dengue, maior celeridade no resultado de exames, minimizando danos e riscos de óbitos”, garantiu a secretária, acrescentando que parcerias entre as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e alguns hospitais estão sendo solicitadas para garantir aditivo aos convênios e contratos em caso de ultrapassagem da capacidade instalada.

Ainda conforme a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), 100% dos médicos do Programa Médico Família Fortaleza estarão capacitados para atender a demanda. “Com o apoio do Governo do Estado, vamos fazer a capacitação para profissionais das Unidades de Pronto Atendimento, em parceria com a Escola de Saúde Pública”, acrescentou a titular da SMS.

Em virtude da quadra chuvosa, os seis primeiros meses do ano são marcados pela maior incidência das viroses em geral, para além das arboviroses. Nessa perspectiva, o prefeito Roberto Cláudio anunciou que, entre os meses de fevereiro e junho, as equipes das UPAS de Fortaleza serão expandidas para otimizar o atendimento e garantir a eficácia do cuidado à população. “Haverá, em cada Unidade, um médico e uma enfermeira a mais para atender a essa demanda”, garantiu.